Linhas de Pesquisa

Computação nas Nuvens

A computação na nuvem ou Cloud Computing é um novo modelo de computação que permite ao usuário final acessar uma grande quantidade de aplicações e serviços distribuídos geograficamente, independentes da plataforma, bastando para isso que estejam conectados à “nuvem”. O processamento e armazenamento de dados é feito de qualquer lugar do mundo, a qualquer momento, não havendo necessidade de instalação de softwares nos dispositivos do usuário. A linha de pesquisa do laboratório consiste no estudo e definição de novas plataformas e serviços que vislumbrem disponibilidade, escalabilidade, desempenho, autonomia, segurança, gerenciamento, etc. Os aspectos de gerenciamento buscam eficiência adequando-se a tecnologias de green clouds.

Gerenciamento de Redes

O gerenciamento de redes se torna cada vez mais uma tarefa complexa por causa das redes que são cada vez mais constituídas de tecnologias heterogêneas. Então se faz necessária as soluções, arquiteturas e protocolos para viabilizar conectividade a qualquer momento, em qualquer lugar, utilizando qualquer dispositivo com o aprovisionamento de QoS e suporte à mobilidade transparente. Nessa linha de pesquisa contempla o estudo das soluções de gerenciamento de redes em geral, e a abordagem de Redes Autonômicas que é a solução ideal, ou seja, um novo paradigma que define redes capazes de gerenciarem a si próprias de acordo com os objetivos do administrador e sem a intervenção humana direta.

Qualidade de Serviço em Redes

Os fornecedores de serviço e os operadores devem permanentemente enfrentar o desafio de fazer evoluir sua rede a fim de suportar as rápidas taxas de crescimento mantendo ao mesmo tempo, uma infra-estrutura confiável para as aplicações que têm exigências e características diferentes. O objetivo é estudar as principais técnicas e arquiteturas empregadas para prover qualidade de serviço: IntServ (Integrated Services), DiffServ (Differenciated Services), MPLS (Multi Protocol Label Switch) e GMPLS (Generalized MPLS ) em uma rede IP e também as arquiteturas derivadas.

Redes sem Fio

Desenvolvimento de pesquisas nos padrões 802.11a, 802.11b, 802.16 e Ad Hoc. Dentre os interesses está a localização, a QoS e o roteamento. Normalmente, em uma rede sem fio a localização física dos diversos dispositivos móveis não é conhecida. Os sistemas de rede sem fio sempre se preocuparam em oferecer conexão “em qualquer lugar” sem a preocupação de identificar a localização física do dispositivo móvel. Deseja-se aperfeiçoar o protótipo de sistema de localização, utilizando as técnicas de medida de potência de sinal e de análise de cenário, objetivando obter uma maior precisão nas medidas de posição. Em virtude da imprecisão dos resultados coletados serão utilizadas técnicas de Redes Neurais, Lógica Fuzzy ou Redes Bayesianas visando melhorar a interpretação dos resultados.

Redes Ópticas

A tecnologia de redes óticas promete ser a nova geração de redes de comunicação porque ela oferece altas taxas de transmissão com um custo significativamente menor do que as tecnologias atuais. Explorar conhecimentos em tecnologias de redes óticas usando o GMPLS com objetivo de desenvolver um protótipo de sistema de gerenciamento baseado em políticas, com foco em QoS e recuperação de falhas em redes IP/WDM. Além disso, propor novas maneiras de resolver problemas característicos de redes ópticas através de meta-heurísticas (colônia de formigas, enxame de abelhas).

Dispositivos Programáveis

Os últimos avanços das tecnologias óticas têm propiciado o aumento cada vez maior das velocidades e capacidade da infra-estrutura de comunicação. Atualmente a tecnologia mais promissora para se obter altas taxas de comutação são os comutadores puramente óticos (OXC), que apesar da alta capacidade ainda tem muitas limitações. De qualquer forma, ainda vamos necessitar de comutadores eletrônicos, pelo menos na ligação rede de núcleo com rede de acesso, e todos eles deverão suportar essas taxas. Nessa linha visa realizar um estudo sobre os mecanismos de hardware e software para comutação e tem como meta definir as linhas para se atingir velocidade gigabits, necessárias para as novas redes óticas.

Redes Peer to Peer (P2P)

Redes P2P consistem de nós que podem entrar e sair a qualquer momento, sem nenhum controle centralizado. Elas oferecem funcionalidades interessantes tais como busca eficiente, replicação de dados, tolerância a falhas, auto-organização, grande escalabilidade dentre outras. Entretanto, geralmente voltadas para o compartilhamento de arquivos, as redes P2P existentes não fornecem suporte para aplicações distribuídas diversas. Novas redes P2P podem ser definidas e implementadas a fim de suportarem novas aplicações. Além disso, o inquestionável volume de tráfego na internet gerado pelas redes P2P representam um considerável desafio aos provedores de serviços.